25 de mai de 2010

Frutas do Bosque!!


Com o sol brilhando e as flores brotando aparecem também as frutas do bosque. As famosas frutas vermelhas que conhecemos normalmente mescladas entre si.
Nos países de clima frio as frutas vermelhas são normalmente encontradas separadamente, o que facilita na hora de preparar uma receita.
Das frutas vermelhas do bosque podemos destacar a framboesa, a amora, o mirtilo (blueberry), o morango e a groselha entre tantas outras selvagens e mais raras.
Para acompanhar o sabor geralmente ácido dessas pérolas do bosque nada melhor que uma boa Panna Cotta feita seguindo à risca a tradição italiana.
A Panna Cotta - nata cozida na tradução - é um dos pudins mais conhecidos na Itália. Originária da região do Piemonte é feita com leite, creme de leite, açúcar, baunilha e gelatina. Para acompanhá-la nada melhor que a calda feita com uma ou várias frutas vermelhas.
É uma sobremesa leve e fresca que pode ser bem acompanhada de um vinho doce como o Moscato d´Asti.

7 de mai de 2010

Noivas da Primavera



Como uma tradição na Europa, a primavera traz consigo os casamentos.
Essa é a estação mais concorrida para se casar. Logo depois de um longo inverno a estação em que as flores brotam e as frutas são mais saborosas é ideal para comemorar um casamento.
Com isso nosso trabalho se foca mais nos famosos bolos e tortas tradicionais para a comemoração.
O Croquembouche é uma torta que, ao que se entende, foi criada pelo famoso cozinheiro Antoine Carême. Diferente das tradicionais tortas horizontais tem a forma de um cone onde se "empilham" profiteroles de pâte a choux (a famosa bomba brasileira) recheados de creme patissier e caramelados para, evidentemente, justificar o nome - traduzindo: "crocante na boca".
Como é uma torta difícil de se comer, já que os profiteroles estão colados à uma base, ela se torna quase que um ornamento na festa. Ela é grandiosa, bonita e cheia de charme.
Para solucionar o problema da degustação, muitas vezes o Croquembouche vem acompanhado de uma Tarte Saint-Honoré.
Com uma base de pâte feuilletée (massa folhada) ou sucrée (massa podre doce) coberta com pâte a choux, tem na sua volta os profiteroles caramelados e no centro o creme Chiboust - uma mistura interessante de creme patissier e merengue.
Seu nome pode ter se originado tanto em homenagem ao santo padroeiro da patisserie (Saint-Honoré) como à rua onde o patissier Chiboust criou a famosa torta com seu creme inovador para a época.