20 de jul de 2010

Um Domingo de Verão


Nada como o verão para nos oferecer as mais variadas frutas, verduras e..... frutos do mar!
Na Europa o período de pesca de frutos do mar coincide com o início do verão. Com isso começamos a nos deparar com camarões, lagostins, mexilhões e outros tantos frutos do mar nas feiras de rua e nos restaurantes por aí...
Afinal, é o sabor do verão, do sol, do mar e da praia passando ligeiramente pelas terras geladas da Alemanha.
Com o sol brilhando a todo vapor lá fora no jardim, a melhor opção para o almoço do domingo foi um prato leve e ao mesmo tempo cheio de sabor: Linguine com ameijoas e camarões ao limão e vinho branco.
E pasmem!!! Combina perfeitamente com um Sauternes geladinho..hhhmmmmm

14 de jul de 2010

Prato do dia


É claro que a Alta Cozinha e os Chefs mais famosos e premiados devem se valer de ingredientes caros, especiais e muitas vezes raros!
Mas em casa o papo é outro, todos sabemos...
E nada como transformar o mais simples ingrediente em prato chic!!
Nesse caso o que vale é temperar bem, aproveitar o melhor possível do sabor de cada simples ingrediente que entra na panela e claro, fazer isso com muito carinho e paciência..
No final, a montagem também conta....
Comemos, em primeiro lugar, com os olhos, depois com o nariz e por fim com a boca...
Assim a comida do almoço vira o Prato do Dia, e um simples peito de frango acebolado vira a Sugestão do Chef num dia ensolarado de verão!!
Bom Apetite!!

25 de mai de 2010

Frutas do Bosque!!


Com o sol brilhando e as flores brotando aparecem também as frutas do bosque. As famosas frutas vermelhas que conhecemos normalmente mescladas entre si.
Nos países de clima frio as frutas vermelhas são normalmente encontradas separadamente, o que facilita na hora de preparar uma receita.
Das frutas vermelhas do bosque podemos destacar a framboesa, a amora, o mirtilo (blueberry), o morango e a groselha entre tantas outras selvagens e mais raras.
Para acompanhar o sabor geralmente ácido dessas pérolas do bosque nada melhor que uma boa Panna Cotta feita seguindo à risca a tradição italiana.
A Panna Cotta - nata cozida na tradução - é um dos pudins mais conhecidos na Itália. Originária da região do Piemonte é feita com leite, creme de leite, açúcar, baunilha e gelatina. Para acompanhá-la nada melhor que a calda feita com uma ou várias frutas vermelhas.
É uma sobremesa leve e fresca que pode ser bem acompanhada de um vinho doce como o Moscato d´Asti.

7 de mai de 2010

Noivas da Primavera



Como uma tradição na Europa, a primavera traz consigo os casamentos.
Essa é a estação mais concorrida para se casar. Logo depois de um longo inverno a estação em que as flores brotam e as frutas são mais saborosas é ideal para comemorar um casamento.
Com isso nosso trabalho se foca mais nos famosos bolos e tortas tradicionais para a comemoração.
O Croquembouche é uma torta que, ao que se entende, foi criada pelo famoso cozinheiro Antoine Carême. Diferente das tradicionais tortas horizontais tem a forma de um cone onde se "empilham" profiteroles de pâte a choux (a famosa bomba brasileira) recheados de creme patissier e caramelados para, evidentemente, justificar o nome - traduzindo: "crocante na boca".
Como é uma torta difícil de se comer, já que os profiteroles estão colados à uma base, ela se torna quase que um ornamento na festa. Ela é grandiosa, bonita e cheia de charme.
Para solucionar o problema da degustação, muitas vezes o Croquembouche vem acompanhado de uma Tarte Saint-Honoré.
Com uma base de pâte feuilletée (massa folhada) ou sucrée (massa podre doce) coberta com pâte a choux, tem na sua volta os profiteroles caramelados e no centro o creme Chiboust - uma mistura interessante de creme patissier e merengue.
Seu nome pode ter se originado tanto em homenagem ao santo padroeiro da patisserie (Saint-Honoré) como à rua onde o patissier Chiboust criou a famosa torta com seu creme inovador para a época.

27 de abr de 2010

Tempo de Aspargos!!




Na Europa começou a primavera! Apareceram as flores... e com elas chegam os aspargos.
Os aspargos são muito apreciados na cozinha alemã, francesa e inglesa.
O aspargo é muito consumido em diversas formas, como por exemplo, cozido com molho holandês, como um creme/sopa e também como risotto.
Há quem pense que no caso do risotto não há mais espaço para inovação..... Mas que engano!
Na hora de juntar um com o outro, esse "outro" é quem pode dar o toque especial. Imagine se no lugar do mais tradicional arroz carnaroli ou arbóreo branquinho.... surge um arroz venere que originariamente é preto.
Taí a inovação!
O arroz venere é originário da China. Naturalmente preto, sua coloração se dá devido à pigmentação do envelope que protege o amido. Assim, por dentro continua branco como um arroz tradicional. Ele é delicadamente perfumado lembrando um pãozinho que acabou de sair do forno. Segundo uma lenda chinesa, ele era consumido pelo Imperador devido às suas propriedades nutricionais e afrodisíacas.
Usando a imaginação, juntei aspargo e arroz venere. E o resultado foi....... panela vazia!!

23 de abr de 2010

O Fantástico Mundo dos Chocolates



Como já diziam os Maias, o cacau é o alimento dos deuses... e não poderia ser diferente com o chocolate!!
Existem no mundo vários tipos de cacau e cada um deles tem suas características de corpo, acidez e aromas.
Assim como no mundo dos vinhos, existem chocolates e... Chocolates :))
Dentro do mundo do Cacau Fino, com o qual são produzidas as melhores coberturas, cada tipo de cacau é tratado para se transformar em chocolates com determinadas características visando sua harmonização com outros ingredientes, o que propicia a nós chocolatiers infinitas possibilidades de combinaçoes e criaçoes!!
A arte da produção de vinhos se assemelha muito à de produzir uma cobertura de boa qualidade.
Na Chocolaterie Mirian Rocha(www.mirianrocha.com), o mundo do chocolate e do vinho caminham no mesmo passo... e de mãos dadas!!!
Os chocolates, em suas mais diversas combinaçoes, são produzidos para harmonizar com vinhos.
O chocolate 67% com pimenta combina muito bem com um vinho tinto Shiraz, por exemplo.
O ao leite 47% com flor de sal é perfeito para harmonizar com um Moscato ou um Passito/Late Harvest.
Já os brancos - um com curry o outro com manjericão - sao ideais para acompanhar um Riesling ou Chardonnay.
As possibilidades são infinitas, só depende do gosto de cada um.

20 de abr de 2010

Cara de um, gosto do outro



Riesling é uma casta de uva branca, mas também possui uma variante rosada.
De suas uvas produz-se um vinho muito famoso na Alemanha, França (região da Alsácia) e Áustria.
Via de regra, os vinhos são brancos e com elevada acidez, uma de suas características mais marcantes.
Aqui na Alemanha, na região do Pfalz (sudoeste do país, ao lado da França) o vinho Riesling se diferencia na pouca acidez e muito aroma e sabor.
Mais diferente ainda, é o que faz uma vinícola centenária de Edenkoben com ideias pra lá de modernas... é o Schwarzriesling, um Riesling tinto!!!
Maravilhosamente aromático e saboroso sua cor surpreende por ser mais rosado que um rosè.. é realmente tinto.
Ao olhar, ele te intimida com uma dúvida: Qual sabor vai sair dali de dentro???
Mas a sensação é de beber um Riesling muito bem feito com o efeito óptico do tinto..... fantástico!!
Uma ideia que realmente nos encanta...
Até agora só conheço um lugar que produz esse vinho.. a Weingut Graeber de Edenkoben na região do Pfalz (www.weingut-graeber.de).
Vale a pena conferir!

19 de abr de 2010

Raclette




Para as noites mais fresquinhas, nada melhor que um prato quentinho, que nos dá a sensação de conforto e aconchego..
A Raclette é originária das montanhas da Suíça e seu nome tem origem do termo francês racler, que significa raspar.
Esse prato nada mais é do que queijo derretido e raspado no prato, onde é acompanhado tradicionalmente de batatas cozidas, presunto e legumes em conserva.
Numa versão mais light - se é que esse prato pode ter uma versão light - usamos por aqui legumes e vegetais frescos, - como a rúcula e o tomate cereja - peito de peru e pão - no lugar das batatas.
Para dar um charme a mais no contexto da Raclette, usamos um tipo de rechaud com velas, do tamanho ideal para servir confortavelmente 2 pessoas.
O queijo, que também pode ser chamado de Raclette, tem um cheiro forte e é feito de leite de vaca. Sua consistência depois de derretido conquista qualquer gosto.
Para acompanhar, nada melhor que um bom vinho branco ou um espumante de boa qualidade!

15 de abr de 2010

Ricotta Fresca


Quem nunca se deliciou com um prato à base de ricota?!
A ricota, em italiano Ricotta, é um laticínio usado como base para inúmeras receitas salgadas e doces.
Ela é proveniente do soro do leite, aquele que sobra depois de se fazer o queijo fresco com o leite e o coalho, daí o nome que significa re-cozido.
Como é muito rica em lactose, o "acúcar" do leite, tem por sua característica um sabor adocicado. Assim, na Itália por exemplo, é utilizada em muitas receitas doces, como o Canolo Siciliano e a Cassata, também originária da Sicília.
Aqui em Frankfurt, onde a comunidade italiana é grande, a chance de se encontrar ricota de boa qualidade é grande.
Na Schweizer strasse, no bairro de Sachsenhausen, pode-se encontrar um Alimentari Italiano chamado Delizie. Lá temos a possibilidade de experimentar os doces feitos com a ricota e mesmo comprá-la fresca...hmmm
Minha sugestao é saborear a ricota fresca numa sobremesa diferente somente com um pouco de mel de trufas!
Realmente uma delícia!!!

14 de abr de 2010

Voce já provou Aligot??


Você já provou Aligot?
Um prato típico das montanhas de Auvergne e de Aubrac na França, composto de pure de batatas e queijo Tomme fresco.
Pode parecer simples, ou mesmo uma combinação boba... não fosse sua consistência elástica devido ao queijo derretido.
É um dos pratos tradicionais que se deve conhecer ao visitar a França.
O Aligot era um prato de pessoas pobres, era servido pelos monges aos peregrinos que faziam o Caminho de Santiago de Compostela quando, ao bater na porta do monastério pedindo alguma coisa para comer, diziam: "Aliquod" - qualquer coisa no dialeto da região.
Como ali se consome tradicionalmente mais batatas do que pão e o queijo Tomme é fabricado pelas pessoas da região, o purê com queijo era a "qualquer coisa" mais fácil de ser servida. 
Pela sua consistência elástica, ficou conhecido como o prato da amizade, que estica e retrai e mesmo assim nunca quebra... essa é a consistência perfeita do Aligot.
Em Paris pode-se encontrá-lo como acompanhamento de pratos como pato grelhado em restaurantes como o "Ambassade d´Auvergne" perto do metro Rambuteau.
Aliás, quem visitar o restaurante vai se deliciar não só com o famoso prato, mas também com o "show" da preparação do Aligot ali mesmo na nossa frente.
Vale a pena conferir!!

12 de abr de 2010

Apresentacao

Olá, eu sou a Carol Petrucci, sou brasileira de nascimento, ítalo-francesa de coração e moro na Alemanha..:))
Comecei a me apaixonar pela Gastronomia lá pelos 16 anos.
Depois de trabalhar numa ação publicitária envolvendo cursos de cozinha, não resisti e acabei definitivamente entrando para o mundo das panelas, ingredientes e sabores!
Estudei no Rio de Janeiro, Piemonte-Itália e acabei trabalhando na Alemanha, com direito à alguns trabalhos na França.
Minha paixão é a Patisserie, especialmente a Chocolaterie....hmmm, impossível resistir à combinação de sabores que o chocolate proporciona.
A partir de agora, vou postar algumas informaçoes interessantes, combinaçoes imperdíveis e noticias do meu trabalho por aqui.
Tudo, é claro, repleto de chocolates!!!
beijos!